sexta-feira, março 04, 2016

Novo tablet para cegos gera letras em braile

Braile é um sistema de leitura que permite a deficientes visuais «ler com as mãos», identificando cada letra ou símbolo através do tacto. Livros e outros produtos em braile geralmente imprimem o seu conteúdo em alto-relevo, para que pessoas cegas possam tocar e compreender. No entanto, isso não é possível com as telas touchscreen de smartphones e tablets. Por enquanto.


Investigadores da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, desenvolveram um tablet (ou, em termos mais exactos, um leitor electrónico como o Kindle, da Amazon) que gera letras em braile sobre a tela. Um sistema de ar comprimido empurra pequenos pinos para a superfície, gerando o alto-relevo.

A cada virar de página, as letras realinham-se e mudam o conteúdo sobre a tela. Não é a primeira vez que esta tecnologia é usada, porém, visto que em 2013 cientistas da Índia criaram um telemóvel cujo display também ganhava relevo com o toque. No caso do «Kindle em braile», o protótipo deve ficar pronto em Setembro deste ano, segundo o jornal Daily Mail.

sexta-feira, janeiro 30, 2015

VII Jornadas Científico-Técnicas da ASPREH


Nos próximos dia 17, 18 e 19 de abril de 2015, decorre, na Faculdade de Desporto da Universidade do Porto, as VII Jornadas Científico-Técnicas da Asociación de Profesionales de la Rehabilitación de Personas con Discapacidad Visual de Espanha (ASPREH), pela primeira vez em território nacional.

Subordinadas ao tema "O impacto da tecnologia na reabilitação das pessoas com deficiência visual” e com Cursos de Formação acreditados pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua (CCPFC), as VII Jornadas vêm fomentar o intercâmbio científico-técnico de distintos profissionais das áreas de intervenção na reabilitação da visão de Portugal, Espanha e Holanda.

Reforçarmos, de igual forma, a parceria existente com várias instituições e empresas na área da acessibilidade e do apoio à pessoa com deficiência de Portugal e Espanha.

Aplicação "+Fácil"

Investigadores do Instituto Politécnico da Guarda (IPG) desenvolveram uma aplicação para telemóveis Android que facilita a utilização do "smartphone", funciona como localizador GPS e é destinada a pessoas idosas e que apresentem algum grau de demência, como, por exemplo, com Alzheimer.

A nova aplicação chama-se "+Fácil" e permite que qualquer pessoa saiba utilizar um telemóvel de última geração. A utilização é facilitada pela interface gráfica simplificada.

A "+Fácil" é um produto da Magickey, empresa "spin-off" do IPG criada em 2005. A aplicação foi feita em colaboração com alunas do curso de Design do IPG, responsáveis pela parte gráfica.

O projecto Magickey foi criado em 2005 no IPG e tem-se dedicado ao desenvolvimento de soluções que permitem aumentar a acessibilidade das pessoas com limitações às novas tecnologias.

A nova aplicação está a dar que falar, até nos corredores do estabelecimento de ensino. Paula Robalo, que trabalha na recepção, foi uma das primeiras pessoas a ir falar com o coordenador do projecto, Luís Figueiredo.

Os pais de Paula têm 80 anos. Não sabem mexer num telemóvel. "Dá para a minha mãe carregar numa tecla e ir imediatamente ter a um dos filhos?", questionou a funcionária do IPG ao professor enquanto a Renascença visitava o IPG.

A resposta: "sim". "Pode inclusivamente colocar a fotografia de cada um dos filhos em cima das teclas e imediatamente a ligação é feita para esse número".

A nova aplicação pode também servir de GPS, que pode ser útil para "familiares, filhos e cuidadores". "Podem fazer um pedido ‘onde estás’ para este telemóvel. E, sem intervenção da pessoa, imediatamente, ele vai dar as coordenadas exactas de onde está essa pessoa", explica o docente.

Entre as funcionalidades da "+Fácil" está ainda o atendimento automático de determinados números de telefone em alta voz. Uma funcionalidade importante para doentes de Alzheimer, por exemplo.

O Instituto Politécnico da Guarda tem disponível um pacote com telemóvel, "software", aplicação e assistência técnica por 224,90 euros.

Paula Robalo ficou com tanta vontade de colocar a aplicação nos telemóveis dos pais que não resistiu a fazer um pedido de Natal: a aplicação a um preço mais acessível. "Eu já me estou a fazer, mas era uma coisa que gostava mesmo de ter e de dar aos meus pais", sorri.

A "+Fácil" foi apresentado na Feira Portugal Maior, que decorreu de 3 a 7 de Dezembro, na FIL – Feira Internacional de Lisboa.

A empresa também disponibiliza as aplicações MagicEye, MagicKeyBoard, MagicHome, MagicKey, MagicSwitch, MagicWatch, MagicWheelChair, MagicJoystick e MagicPhone, destinadas a melhorar a qualidade de vida dos cidadãos com limitações.

quarta-feira, janeiro 28, 2015

Bengala feita em Aveiro avisa cegos sobre obstáculos.

Uma bengala que utiliza ultrassons para detetar buracos e declives está a ser desenvolvida na Universidade de Aveiro, com o objetivo de ajudar pessoas com deficiência visual. A bengala produz vibrações no punho, avisando o utilizador que se aproxima de obstáculos. O projeto nasceu no Departamento de Eletrónica, Telecomunicações e Informática, como resposta a um desafio da Associação Promotora do Ensino dos Cegos.

quarta-feira, dezembro 17, 2014

Conferência Internacional sobre Desenvolvimento e Tecnologias de Software

Bem-vindo ao DSAI 2015, a 6ª Conferência Internacional sobre Desenvolvimento e Tecnologias de Software para Melhoria de Acessibilidade e Combate à Info-exclusão. DSAI 2015 terá lugar em 10-12 junho de 2015 em Fraunhofer FIT, Sankt Augustin, Alemanha.
Tecnologias da Comunicação (TIC) Informação e desempenhar um papel importante em nossas vidas. No entanto, o desenvolvimento das TIC, que é indiferente às preocupações de inclusão social podem levantar barreiras e aumentar o fosso entre o usuário médio e pessoas com necessidades especiais, em vez de contribuir para eliminar esta lacuna e promover a igualdade de direitos e oportunidades para todos.
Os idosos e outras pessoas com necessidades especiais são frequentemente confrontados com múltiplas deficiências menores que os impedem de desfrutar dos benefícios da tecnologia e maior qualidade dos padrões de vida. De acordo com a Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, design tecnologia deve levar em conta a acessibilidade e usabilidade recursos para a proteção e promoção dos direitos humanos das pessoas com deficiência, em todas as políticas e programas.

domingo, junho 15, 2014

Subscrevam e divulguem SFF

Criação de legislação sobre residências e melhoria dos cuidados prestados a Pessoas com Deficiência Motora Severa



Endereço: http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=pessoas-def-motora 

 A SUPERA - Sociedade Portuguesa de Engenharia de Reabilitação e Acessibilidade apresentou como primeiros Signatários umaPetição para a criação de legislação sobre residências e melhoria dos cuidados prestados a Pessoas com Deficiência Motora Severa.
A pretensão desta Petição Pública Coletiva é a defesa de direitos fundamentais das Pessoas com Deficiência Motora Severa que precisam de residências adaptadas às suas capacidades e/ ou de apoios para contratar cuidadores.
As entidades/ associações do nosso país não estão preparadas nem têm as condições necessárias para receber Pessoas com Deficiência Motora. Esta problemática há muito que foi identificada e deve ser discutida na Assembleia da República, podendo ser este o ponto de partida para o aumento da qualidade de vida e da possibilidade destas Pessoas exercerem a sua cidadania.
Tem-se como objetivo a criação de legislação sobre:
  • Criação de residências para Pessoas com Deficiência Motora Severa;
  • Adaptação de residências nas instituições já existentes para Pessoas com Deficiência Motora Severa;
  • Criação de condições para que as várias associações/ instituições tenham cuidadores a prestar serviços na própria residência do cliente/ utente;
  • Criação de subsídios para Pessoas com Deficiência Motora Severa, para que estas possam contratar um cuidador nas suas residências.
De referir e salientar que as Pessoas com Deficiência Motora severa estão neste momento:
  • Em entidades vocacionadas para Pessoas com outro tipo de deficiência, Lares e/ ou Serviços de Cuidados Continuados;
  • Em casa, onde muitas vezes não têm os cuidados necessários ou os familiares têm de abdicar das suas vidas para prestarem os cuidados mínimos;
  • Excluídos do acesso à Educação e vida Profissional por falta de apoio na prestação de cuidados.
Esta Petição foi disponibilizada on-line em 9 de junho de 2014, podendo ser lida na integra e subscrita no seguinte link:http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=pessoas-def-motora.

sábado, abril 26, 2014

Carro adaptado conduzido por Márcio Martins em Portugal